Não Há Prosperidade Onde Tem Conflitos

por | ago 4, 2020 | Uncategorized | 0 Comentários

Em Mateus 12;25 Jesus disse: Todo reino dividido contra si mesmo é devastador; e toda cidade, ou casa, dividida contra si mesma não subsistirá, ou seja, não haverá prosperidade para quem nela está.

Como pode uma empresa, ou uma família prosperar se há dentro dela conflitos, sejam movidos por vaidade, poder, ganancia, vingança, fofoca, mesquinhez, desvios, traições, inveja e até assassinatos? Sentimentos ruins dentro do mesmo ambiente só podem gerar energias altamente negativas e tóxicas.

Como médico de empresas, na maioria das vezes sou chamado para receitar remédios que possam cura-las, principalmente dos problemas financeiros, decorrentes de problemas gerenciais, tais como vendas, controles, processos organizacionais, onde remédios simples e caseiros são a solução para esses males.

Porém quando se trata males decorrentes de conflitos severos por parte dos sócios, os remédios são inócuos, meros placebos, pois primeiramente tem que curar as doenças da alma de cada um dos sócios, para depois receitar os remédios para a empresa.

Fui chamado à três empresas de atividades e tamanhos distintos, mas que tem em comum conflitos internos.

A primeira; dois sócios que outrora foram amigos e fundaram uma empresa e que durante um bom tempo ganharam muito dinheiro. Há pouco tempo um dos sócios colocou um filho e o outro colocou um genro e a partir daí as intrigas deram início e não param de aumentar.

Nenhum deles quer ceder espaço e já passaram da linha da sensatez e do bom senso, a empresa sofre e com isso, fatalmente a empresa vai fechar e os sócios perderão patrimônio.

A segunda, os sócios são marido e mulher, casamento destruído, ele em um outro relacionamento, ela com sentimento de vingança, dividindo a empresa em dois times, os funcionários do lado dela e os do lado dele, um time sabotando o do outro, fofocas e a geração de fake News pela rádio pião, fatalmente a empresa vai fechar e os sócios perderão patrimônio.

A terceira, empresa comandada por quatro irmãos, empresa herdada do pai, onde falta competência, dinamismo e sobra vaidade, dois irmãos disputam o poder, não pelo critério da competência, mas pelo critério da idade.

 Enquanto dois ficam na disputa pelo comando, os outros dois alternam o apoio, pela manhã apoia um e a tarde apoia o outro e com isso a empresa adoece, todos vão perder, a empresa sucumbirá, fatalmente a empresa vai fechar e os sócios perderão patrimônio.

O ser humano na maioria das vezes só aprende, ou pelo amor, ou pela dor, infelizmente nesses três exemplos o aprendizado será pela dor, a dor da perda de dinheiro, patrimônio e posição social.

Uma empresa cresce pela competência, trabalho, dedicação e foco dos seus sócios, que só colocam em prática quando vivem e convivem em um ambiente harmônico, exercem a empatia mútua e estão sob as bênçãos de Deus.

Deixe seu comentário abaixo

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *